DMT Prólogo

   


 

PRÓLOGO

Em um pequeno mundo do reino mortal.

Duas luas brilhavam vigorosamente neste pequeno mundo mortal.

Este era um lugar com um único continente e era totalmente governado por bestas.

Nem um único humano estava vivo, todos pereceram.

Este é o destino para a maioria dos humanos de pequenos mundos. A destruição da sua espécie…

Hoje era um dia um tanto especial para esse mundo. As duas luas e o mundo estavam alinhados, de um lado do mundo estava ocorrendo um eclipse solar e do outro era um eclipse lunar. Neste dia, um lado do mundo era totalmente governado pela escuridão e outro foi governado por uma lua de sangue…

Uma fenda espacial foi aberta atrás da lua de sangue. Uma sombra saiu dessa fenda no espaço.

A sombra era um homem alto, o homem estava com o rosto apático. Ele estava usando uma túnica manchada de sangue e estava segurando um orbe na mão direita e na esquerda ele segurava uma espada de ferro. O homem estava indo em direção a lua com uma velocidade espantosa.

Ele se chocou contra a lua e saiu do outro lado dela. A lua parecia tofu perante a velocidade do homem.

O homem já estava indo em direção ao mundo. Ele entrou na atmosfera do planeta e o atravessou tão rápido como o que ocorreu na lua.

Ele começou a desacelerar antes que se chocasse com a outra lua, mas ainda não foi o bastante e ele ainda se chocou, uma cratera imensa apareceu na outra lua e mais da metade dela foi destruída.

A primeira lua começou a se desfazer e os fragmentos dela estavam indo na direção do planeta. E nesse exato momento um gigantesco som foi ouvido em todo o planeta, esse som foi o resultado do homem ao entrar na atmosfera do planeta.

Mais da metade dos seres vivos do planeta foram mortos perante esse som.

Os céus começaram a tremer e afundar em direção a onde o homem se chocou, um abismo colossal começou a se formar. Montanhas desmoronaram, e a água começou a submergir o continente.

O abismo continuou a crescer e foi engolindo tudo ao seu redor, até o próprio céu.

Do outro lado do mundo era possível ver uma cena um pouco parecida, mas o abismo não estava engolindo nada, ele estava expelindo. Terra e Magma estava sendo expelido do abismo, a água do oceano foi elevando-se em direção ao espaço, um buraco descomunal formou-se no céu, e os céus foram indo na direção do espaço.

Tudo estava indo em uma única direção, em direção ao homem.

“HAHAHAHAHA” O homem começou a rir loucamente.

“O karma de todos vocês foram misturados com o meu! HAHAHAHA! Agora sofram a Tribulação Celeste junto comigo!” O homem olhou em direção ao planeta. O olhar dele atravessou tudo e ele olhou diretamente na fenda de onde ele saiu.

“ALBIN! Como ousa, como ousa!? Você sabe que a destruição de mundos é totalmente proibida para quem treina nos DAOs celestiais.” Três homens velhos saíram da fenda. Cada um usava túnicas negras e cada um segurava uma lança dourada.

“Vocês suas três coisas velhas. Vocês merecem apenas a destruição, todos iram pagar pela sua ganância e vossas almas serão destruídas.” Albin levantou a espada de ferro e a balançou na horizontal.

Um feixe de luz dourada pálida foi desferido da espada, o planeta que já estava prestes a ser aniquilado foi cortado ao meio pelo feixe dourado. O feixe estava indo em direção aos três homens.

Um dos três homens balançou a lança e cortou o feixe em duas metades.

“Você já está em um estado tão decrépito. Nada disso estaria acontecendo se você apenas tivesse dado o orbe celestial no momento que eu pedi, então a sua esposa e filho estariam vivos agora.” Disse o velho homem que cortou o feixe ao meio.

“Vá se foder!” Albin tossiu sangue e agora estava mais apático que antes.

Relâmpagos roxos começaram a se formar no espaço entre eles quatros, e uma aura opressiva estava se formando. O espaço era rasgado por esses relâmpagos e toda a conexão com os DAOs estavam sendo cortados.

Esta era Tribulação Celestial, essa não era uma tribulação para se transcender. Esta era uma tribulação para a própria erradicação, a erradicação dos pecadores que praticam nos DAOs celestiais.

“ALBIN!” Os três homens velhos gritaram histericamente e foram na direção de Albin.

Albin apenas deu uma risada seca, e depois mordeu a sua própria língua e fez um encantamento com a espada e ele abriu uma fenda na frente dele.

“HAHAHA! Suas três coisas velhas.” Disse Albin enquanto ele voava em direção a fenda.

No momento que Albin entrou na fenda ela foi fechada e nesse exato momento os três homens velhos colocaram o pé na lua.

“DROGAAAAA!”

Os relâmpagos roxos que serpenteavam no espaço ficaram totalmente caóticos, parece que eles perceberam a tentativa de fuga. Eles se atiraram nos três velhos, eles não tiveram nem chances de escapar para o espaço caótico antes de perecerem…

Albin chegou no espaço caótico, ele não tem noção do ocorrido, mas ele sabe que as coisas não estão nada bem.

“Merda. Tenho que achar um grande mundo e esconder o Orbe Celestial lá.” Albin voou com toda a sua velocidade.

No momento em que ele começou a voar a Tribulação Celeste começou a se forma no lugar onde ele estava. Desta vez os relâmpagos roxos estavam se alastrando em todas as direções e criando buracos no espaço caótico, a tribulação celestial estava se espalhando para outros espaços.

Subitamente um relâmpago roxo se aproximou de Albin. Ele atacou o relâmpago com a espada de ferro, e ouve uma grande explosão de luz roxa.

Albin foi jogado para fora da luz, ele estava sem o braço e a espada foi destruída.

“Mesmo com a Ragnarök eu perdi o meu braço, nem mesmo Ragnarök resistiu e foi transformada em nada. Digno da Tribulação Celestial.” Albin retomou o seu equilíbrio e voltou a voar com todas as suas forças.

Ele voou por pouco tempo antes de parar.

“Este mundo está bom.” Albin mordeu a sua língua, mas desta vez ele cuspiu a essência de sangue.

Uma fenda foi aberta e nela era possível ver uma cadeia de montanhas.

“Tribunal celestial… Espero que eu seja vingado, hahaha…” Albin jogou o Orbe Celestial na fenda…

Ano 3000 do Supremo Império Paragon.

Na extremidade leste do Império, em uma certa cadeia de montanhas, a 10 milhas de distância de um vasto e infinito deserto.

A noite estava tranquila, um céu limpo e cheio de estrelas, a lua estava brilhando, brilho que se parecia como se os Deuses estivessem celebrando. Mas de repente podia-se ouvir uivos de bestas. De primeira parecia uivos, mas após um tempo esses uivos se tornaram berros, berros que se parecia com um choro de um fantasma.

Esses berros se originaram da cadeia de montanhas, mas logo foram se espalhando, até que chegou um momento em que todas as bestas do Império estavam gritando, uivando, berrando e chorando. Até mesmo no deserto podia ouvir os mesmos sons, todas as bestas no continente, se não no mundo, estavam agitadas, mesmo bestas primordiais não foram exceção e até os seres que vão além da compreensão humana estavam com medo.

A energia elemental do mundo ficou um caos, especialistas explodiram, outros tiveram sangue saindo por seus orifícios e outros tossindo sangue, não importa o nível de cultivo dos especialistas, todos tiveram algum tipo de perda, todos os artistas marciais do mundo ficaram aterrorizados, sentiam-se como se fosse o próprio fim do mundo.

O céu ficou escuro, nuvens negras cobriram o mundo, podia-se ver relâmpagos rasgarem o céu, clareando a escuridão, aterrorizando o mundo, esses relâmpagos eram bem conhecidos pelos seres deste mundo, o chamavam de “Tribulação Imortal”. Raios caíam repetidamente, montanhas foram evaporadas, abismos foram feitos, o mundo estava entrando em colapso. Isso só significava uma coisa: Que os Deuses estavam irritados!

A própria energia elemental foi passando por uma mutação, a sorte kármica foi se esvaindo desse mundo. Especialista estavam morrendo como moscas. Mas a tribulação não durou muito tempo, foi apenas uma “Nuvem Passageira”, mas que trouxe um grande rio de destruição para o mundo.

Deste dia em diante, essa calamidade ficou conhecida como: “A queda dos deuses”. Humanos, bestas e as existências que viviam escondidas, sofreram uma perda enorme neste dia.

Ano 3520 do Supremo Império Paragon…